Com luau em volta da fogueira, Casa da Quineira une sofisticação e carinho.

noticias
mar18

Com luau em volta da fogueira, Casa da Quineira une sofisticação e carinho.

Notícias no responses

‘And I think to myself, what a wonderful world!’. Em um sábado à noite, sentado em volta de uma fogueira, degustando um bom vinho e ouvindo a música de Louis Armstrong em Chapada dos Guimarães, pode ser que – pelo menos por algumas horas – o mundo se torne realmente um lugar maravilhoso.

A interpretação livre da música de Armstrong é de Caio Moussalem, que antes de começar a cantar, avisa: “Não quero, de forma alguma, tentar imitá-lo”. Mas não precisaria. Junto a esta música, sucessos de Edith Piaf, Jacques Brel, Michael Jackson, Mercedes Sosa, Andrea Bocelli, e até os mais contemporâneos John Mayer e as bandas de rock U2 e Radiohead fazem parte do repertório do ‘Trio da Quineira’, que se apresenta todos os sábados em um luau na pousada homônima.

amp-DSC_0051Caio começou a se apresentar junto ao saxofonista Davi Rodrigues e ao violonista Flávio Marques aos sábados há menos de um ano, e ficou surpreso ao perceber que muitas pessoas voltavam para assisti-los: “Já teve gente que veio até aqui e, quando viu que por algum motivo não éramos nós que íamos tocar, deu meia volta e foi embora. Eu tive até certa dificuldade em aceitar, pensava não, não é possível que eles venham por causa da gente”.

 

Para ele, o que atrai o público, além do ambiente em si, é o repertório: “Eu até brinco com os meninos, digo que o diferencial não é a minha voz, não é você [Davi] no sax ou você [Flávio] no violão, eu acho que é o repertório. É o que nos faz diferentes”, afirma. 

" ‘And I think to myself, what a wonderful world!’. "

o mundo se torne realmente um lugar maravilhoso.

Além de cantor do luau aos sábados, Caio é também proprietário da Casa da Quineira. A pousada inaugurou há um ano, durante o fervor da Copa do Mundo, e já nasceu com a intenção de ser o que seu nome diz: uma casa.

Administrada pela família toda, a Casa da Quineira tem Caio como morador fixo e seus pais, irmã e cunhado como coordenadores e administradores. A ideia de construí-la sempre esteve presente: “Meu pai sempre brincou, há muitos anos atrás ele falava que queria aposentar e ir para algum lugar, pensava até em uma praia”, conta Caio, “Mas a realidade bateu na nossa porta e em 2009 tivemos a oportunidade de comprar esse imóvel. (…) Usamos como casa até 2014, mas sempre, desde o comecinho, já pensávamos no potencial como pousada”.

triodaquineiraAs qualidades são, realmente, gritantes: perto do centro, e de costas para o Parque da Quineira, um paredão verde que parece estar ‘no meio do mato’. A localização, inclusive, faz com que a pousada esteja sempre com a temperatura de três graus abaixo da do centro.

Depois de usufruírem da ‘casa de final de semana’, a Copa do Mundo impulsionou a família para investir no empreendimento. As obras começaram em janeiro de 2014, e no dia 12 de junho a pousada foi inaugurada (o primeiro jogo em Cuiabá foi no dia 13).

“Eu abri as vendas em fevereiro e no início de março estava tudo vendido. (…) Quando chegou o primeiro grupo de australianos, eu era o único que falava inglês e nosso salão principal estava ainda em caráter de estoque de obra. (…) Aí eu fiquei literalmente entretendo eles enquanto o pessoal corria pra terminar. Fui descendo, apresentando a pousada pra eles, e quando cheguei lá, graças a Deus estava tudo limpo”, conta Caio, aliviado.

A pousada hoje conta com doze quartos, sendo três ‘luxo’, cinco ‘superiores’ e quatro ‘standards’. O quarto luxo possui jacuzzi, sacada e é o maior dos três. Já as diferenças entre o superior e o standard é somente o tamanho. Todos são equipados com máquina de café nespresso, frigo bar, e DVD (no quarto luxo, é um aparelho de Blue Ray). A Casa ainda disponibiliza mais de mil títulos de filmes, de diversas nacionalidades, para os hóspedes: “Eu doei meu acervo pessoal para a pousada, já que sou um cinéfilo assumido”, afirma Caio.

O restaurante é aberto para o público de fora da pousada somente aos sábados, para não descaracterizar a pousada. O cardápio é do Chef Fábio Passos, que tem experiência em Brasília e Goiânia: “Ousado, ele é criativo. Não só um executor de receitinha, eu acho bem bacana”, afirma Caio.

No menu, entradas como ceviche de salmão, bolinho de bacalhau, carpaccio, quejo coalho com mel e alecrim. Para o prato principal, o cliente tem como opções fettuccine com molho de três cogumelos, filé com molho de uvas, risoto de salmão e outros. Já as sobremesas são cheesecake de limão com maracujá, petit gateau com sorvete e pêra ao molho de vinho com sorvete.

Além dos pratos, o cardápio também oferece a opção de fondue de filé, de queijo ou de frutas com chocolate. Por causa do friozinho, mantas estão disponíveis para os clientes se aquecerem enquanto jantam e assistem ao show, assim como se faz em casa: “O diferencial está no nome, a ‘Casa’ da Quineira. (…) Perguntaram, ah, mas não é muito caseiro? Eu falei: exato! Eu quero que as pessoas se sintam em casa, em uma extensão da casa delas”, finaliza Caio. “A gente quis trazer uma coisa que era inovadora pra Chapada, essa coisa da hotelaria boutique, de luxo, só que sem trazer aquela coisa rígida do padrão alto.” No final, o que se obteve foi uma mistura dos dois mundos: estilo com carinho.

Matéria Olhar Direto
Da Redação – Isabela Mercuri

 

 

 

 

.

Deixe uma resposta

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>